Thursday, December 18, 2014

Inaugurada a nova câmara de comércio bi-nacional em Doral

Conforme anunciado no último artigo, foi inaugurado ontem na cidade do Doral, a nova câmara de comércio U.S.Brazil Chamber of Commerce (USBRCC). Aos mais curiosos, favor acessar www.usbrazilchamberofcommerce.com para maiores informações sobre membresia internacional, visão, dentre outros tópicos.

Fundada por esse blogger, a inauguração do USBRCC teve full house. Contou com o Vice-Prefeito do Doral, Sandra Ruiz, o Cônsul Adjunto do Consulado Geral do Brasil de Miami, Bruno Rodrigues, Aloysio Vasconcellos do Brazilian International Foundation, Manny Sarmiento e Carmen Lopez, Presidente e Vice-Presidente da Câmara de Comércio do Doral.

Na verdade esses dois últimos foram os que deram a chance a esse blogger, fundador e presidente da USBRCC aprender esse negócio chamado câmara de comércio quando junto com eles fundaram o BMA - Brazilian Marketing Annex. Uma eterna gratidão desse blogger à esse casal.

Outras personalidades do mercado internacional do Condado de Miami-Dade também estavam presentes. O palestra brilhante foi do Prof. Dr. Attila Andrade.

O USBRCC promete um trabalho agressivo entre Brasil e Estados Unidos principalmente facilitando a conexão entre pequeno e médio empresários que querem atravessar o oceano!

Tuesday, December 9, 2014

Uma nova câmara de comércio bi-nacional Brasil e Estados Unidos, será lançada dia 17 em Miami

Brasil e Estados Unidos possuem uma balança comercial de bilhões de dólares. 

O Brasil é um dos maiores parceiros comerciais da Flórida, e o maior parceiro comercial do Sul da Flórida, tendo um tremendo impacto econômico, social e demográfico na região, hoje por gerações por vir. 

U.S.-Brazil Chamber of Commerce (USBRCC) será oficialmente lançada no dia 17 de dezembro na cidade do Doral, no oeste de Miami, comandada por Richard Sanchez, esse blogger e presidente da Moriah International, Inc.

USBRCC promote focar o pequeno e médio empresário americano e brasileiro que desejam aumentar as relações comerciais entre os dois países, ou fazerem negócios entre si aqui mesmo nos Estados Unidos, uma vez que a representatividade brasileira é significante.

USBRCC promete ser um agente facilitador entre as partes interessadas. Igualmente promete promover boas ações e investimentos, contribuindo assim para a balança comercial entre os dois países.

Já confirmada a presença de políticos da Cidade do Doral e do Condado de Miami-Dade dentre outras personalidades da comunidade do comércio internacional entre os dois países.

A palestra inaugural estará por conta do advogado internacional, professor de universidades americanas, e autor com livros publicados no Amazon.com, Dr. Attila de Andrade Jr.

Você brasileiro que está lendo esse blog, acesse o site abaixo e veja como poderá se tornar membro dessa câmara de comércio e se beneficiar do que ela tem para oferecer.

Maiores informações no website www.usbrazilchamberofcommerce.com 

Friday, November 21, 2014

O dólar subiu e quero vender meu imóvel em Miami. Como faço?

Pela primeira vez estaremos repetindo uma matéria em dois blogs. Como o blogger é o mesmo, não existe nenhum problema. 

Mas porque a repetição da matéria? Porque nem todo mundo que acessa o Direto dos USA, acessa o das compra de imóveis na Flórida e vice-versa. E como o tópico da disparada do dólar tem sido uma constante, e as consultas também, nosso objetivo e educar os brasileiros que sonham em comprar um imóvel nos Estados Unidos.

Que a flutuação do dólar está assustando a muitos brasileiros que compraram apartamentos ou casas em Miami ou em Orlando, não se discute. Para quem comprou na baixa e ver agora uma disparada no dólar, é assustador.  

Mas como fazer caso queira vender meu imóvel? Se você comprou um imóvel aqui na Flórida ou em qualquer lugar nos Estados Unidos, sendo você não residente, algumas tratativas fiscais e tributárias serão aplicadas na negociação. 

A lei do Imposto de Renda americano diz que quando um estrangeiro vende um imóvel, ele está sujeito a uma taxação de 10% do valor do imóvel. Essa cobrança é baseada na lei chamada FIRPTA – Foreign Investment in Real Property Tax Act. Esses 10% terão que ser remetido ao Imposto de Renda em no máximo 20 dias após a escritura de venda. 

Acontece que como quase como toda regra tem exceção, a lei do FIRPTA não poderia ser diferente. 

Se o valor de vendas do imóvel for menos de US$ 300 mil dólares, o vendedor “pode” ser isento desses 10%. Mesmo assim o comprador terá que comprovar uma ocupação de mais de 50% durante um prazo determinado e esse comprador terá que assinar alguns documentos se comprometendo junto ao Imposto de Renda. É viável a isenção mas não tão simples.

Mas se o valor de vendas for maior do que US$ 300 mil dólares, não tem jeito. O vendedor pagará os 10%.

Como o objetivo desse blog é dar algumas dicas para chamar a sua atenção, sugerimos consultar seu advogado imobiliário ou corretor de imóveis.

Monday, November 3, 2014

Que horas são em Miami? em Orlando? em Los Angeles?

Acabou o horário de verão nos Estados Unidos. 

Muitas vezes você já quis ligar para os Estados Unidos e não teve a menor idéia de que horas eram aqui na Terra do Tio Sam?

Da costa leste americana, chega uma diferença de 3 horas por causa do fuso. E na região central? Para você saber com exatidão a hora oficial americana é só consultar http://www.time.gov 

Estando o Brasil sempre na frente do fuso, com certeza você não correrá o risco de acordar ninguém com seu telefonema; fazendo a devida consulta ao site do governo, ainda mais se seu amigo estiver na costa oeste porque a diferença fica 6 horas atrás do Brasil.

Wednesday, October 8, 2014

Eleição no Brasil...o que pode mudar? O que não muda?

Há quatro anos atrás, precisamente no dia 1 de outubro de 2010, publicamos uma matéria nesse blog sobre as eleições brasileira que teve uma certa repercussão. Buscando nosso arquivo, verificamos que esse artigo continua tão atual como há quatro anos atrás.  

Incentivado por amigos, só trocamos as datas de eleição dos dias 3 de outubro para dia 26 de outubro. De resto, iremos publicar o artigo literalmente na íntegra.

Esperamos que você que tem nos acompanhado nesse blog ao longo dos anos, tenha consciência de escolher o melhor candidato para o presente e futuro do Brasil. Se você escolher o Aécio ou a Dilma, saiba que você é 100% responsável pela sua escolha.

O Brasil hoje reclama de muita coisa mas não podemos esquecer que o Brasil que colocou esses candidatos no governo. Antes de passar para o artigo, para amenizar, iremos pegar uma carona na famosa frase do livro do Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

Segue link original e o texto abaixo.


Para nós que somos empresários e principalmente para nós que fazemos comércio internacional, acompanhar de pertos os acontecimentos políticos é uma obrigatoriedade.

Não podemos negar que não só o mercado americano mas como o mundo observa atentamente o que acontecerá dia 26 de outubro nas eleições no Brasil...e quem será o novo presidente.

Estudando e pesquisando esse assunto aqui nos Estados Unidos deparamos com dois pensamentos de dois ilustres que vale a pena ler e refletir.

Durante a aprovação da constituição Americana pelas 13 colônias em 1786, o professor e historiador Alexander Taylor, da Universidade de Edinburgo, escreveu o seguinte sobre a queda da república de Atenas. Tentaremos a versão mais exata possível.  

O professor Taylor vai mais fundo ainda...diz que a vida de uma democracia nas grande civilizações (Lifespan of a Democracy) é ao redor de 200 anos. A sequência progressiva é a seguinte:

• Da “escravidão” ao crescimento espiritual.
• Do “crescimento espiritual” à grande coragem, onde lutamos pela nossa liberdade e direitos.
• Da “grande coragem” à liberdade.
• Da “liberdade” à abundância.
• Da “abundância” ao egoísmo.
• Da “egoísmo” à complacência.
• Da “complacência” à apatia que é o controle mental da massa.
• Da “apatia” à dependência.
• Da “dependência” de volta à escravidão, onde trocamos a liberdade pela segurança.

Para aqueles que acham que americanizamos demais nossos exemplos, segue uma frase de Machado de Assis dita em 15 de agosto de 1876…quase 100 anos depois dos pensamentos acima que foi muita divulgada nessas eleições.
“ 70% dos cidadãos votam do mesmo jeito que respiram: sem saber porque nem o quê. Votam como vão à festa da Penha...por divertimento”.

É uma triste revelação centenária e por acaso você conhece algum país onde isso poderia estar acontecendo?
“A democracia sempre tem uma natureza temporária; e não pode existir como forma permanente de governo. A democracia continuará a existir até que o eleitor descubra que eles podem votar objetivando presentes generosos dos cofres públicos. Desse momento em diante, a maioria irá votar nos candidatos que prometerem mais benefícios do tesouro público; e o resultado de toda democracia será o colapso devido o afrouxamento do dinheiro público, que sempre seguirá por uma ditadura”.

Para endossar mais ainda essa citação da época, o grande Benjamin Franklin ainda disse que quando o povo descobrir que eles podem votar por ajuda financeira será anunciado o fim da república.

Friday, October 3, 2014

Balança comercial americana ainda é deficitária!

O U.S. Census Bureau e o U.S. Bureau of Economics Analysis, que são dois órgãos governamentais que através do Departamento de Comércio americano, que também cuidam dos dados, estatísticas e análises econômicas, divulgaram hoje que o total de exportação de produto e serviços em agosto foi de US$ 198.5 bilhões contra US$ 238.6 bilhões de importação. 

Como podemos notar ainda temos um déficit de US$ 40.1 bilhões de dólares na balança comercial dos Estados Unidos.

Monday, September 22, 2014

O que a decisão do Burger King tem haver com você abrindo empresa em Miami?

Semanas atrás os Estados Unidos acordaram com uma notícia bombástica. O Burger King que é comandada pelo quarteto brasileiro Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira, Marcel Herman Telles e Roberto Thompson Motta através da 3G Capital compraram a rede canadense de café e donuts Tim Hortons, assim tornando-se a terceira maior rede de fast food do mundo.  

Até aí tudo bem, mas acontece que os críticos e especialistas dizem que o motivo principal dessa negociação de quase US$ 12 bilhões de dólares foi a transferência da matriz do Burger King para o Canadá para pagar menos impostos, evitando assim a duplicidade nos impostos em cima dos lucros gerados fora dos Estados Unidos, caso a matriz continuasse por aqui. 

Para quem tem uma expectativa de faturamento de US$ 23 bilhões anuais, qualquer percentual economizado, é muito significativo. Opa, agora mexeram no bolso do americano!

Polêmicas à parte, você buscando no Google, com certeza encontrará um absurdo de matéria sobre essa mega transação.

Ok, Richard mas o que tem haver com abrir empresa em Miami. I am glad that you asked me! Preparado para a resposta?

Muitos brasileiros sonham em negociar com os Estados Unidos, abrindo sua empresa na Flórida, escolhendo principalmente as cidades de Miami e Orlando. Acontece que muitos abrem somente para “testar” o mercado e não possuem volumes financeiros que justifiquem a abertura dessa empresa.

Como o brasileiro não é residente, ele terá que abrir uma corporação chamada C-Corporation cujo a carga tributária é mais pesada. Dependendo do que o brasileiro sonha com o mercado americano, o melhor é ele contratar uma trading e/ou consultoria e como falamos aqui, “testar as águas”.  Dando certo o produto e/ou serviço, aí sim com a experiência adquirida e justificando, o brasileiro parte para carreira solo. Você leitor, pode acreditar que de um modo geral ficará muito mais barato do que o brasileiro operar a própria corporação. 


Caro leitor, você deve consultar seu advogado ou contador para confirmar tal informação. O narrado no parágrafo acima é nossa opinião em cima de uma experiência de mais de 20 anos atuando em trading, consultoria, marketing e vendas atendendo exclusivamente o Brasil. 

Você pode até dizer que não terá os mesmos resultados do Burger King. Acreditamos também que não! Mas acontece que quando seu nome entra no sistema financeiro americano, não tem mais volta. A pergunta que fica é a seguinte: é isso mesmo que você quer?

Thursday, August 14, 2014

Devo não nego, pago se puder....nos Estados Unidos?

Opa, como é isso? Não é devo não nego e pago quando puder? Pode ser mas aqui na América não é muito assim. 

Aqui muita gente inclusive grandes empresas e empresários “famosos” e “celebridades” fazem a opção de não querer pagar por não querer pagar, aproveitando assim certas facilidades da legislação americana.

No final de Julho, o país levou um susto quando foi noticiado pelo Urban Institute, que 35% da população dos Estados Unidos, está nas mãos dos cobradores; ou seja, estão com as contas atrasadas e estão nas mãos dos cobradores de débitos, ou debtor collectors.

O mesmo relatório diz que a maioria se concentra no sul dos Estados Unidos e no oeste como Las Vegas, onde quase 50% da população da cidade está nas mãos desses cobradores. Podemos então concluir que nem tudo que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas.

Mas aí você pergunta, o que tenho eu haver com isso se nem imigrante eu sou? Você tem mais haver do que você imagina. Se você pelo menos está lendo essa matéria acreditamos que tem interesses com esse país. E se você negocia com seu amigo de infância que tem uma trading aqui, mais ainda!

Repare no parágrafo acima. É citado que a massa está no sul e no oeste. Coincidência ou não é onde está a força da imigração que não fala inglês. Isto posto, a ignorância financeira é assustadora. Esses imigrantes mal informados se encantam com o canto da sereia, assumindo compromissos relevantes sem nenhuma base, sendo os mesmos abusados pelos vendedores de maneira impiedosas. Se você acompanhou a crise imobiliária americana, você pode confirmar essa informação.

Se um dia você pensar em imigrar para cá, seja Miami, Orlando, NY ou qualquer outra cidade, siga nosso conselho e faça o seu dever de casa. Um erro seu na chegada que arranhe ou comprometa seu crédito, pode tornar a sua vida muito mas muito mais cara do que você imagina durante anos. Acreditamos que a maioria que lê esse blog não tem idéia de como fica mais cara.

Nosso conselho é entrar devagar, aprender o sistema lendo de tudo que hoje excelentes sites governamentais proporcionam, e claro, consultar amigos que merecem ser consultados. De imigrante aventureiro e irresponsável esse país está cheio. E faça o possível para ficar sempre dentro dos 65%, que já é uma grande coisa.

Voltando a esse percentual dos 35%. O teu nome só vai para o debt collector depois de 90 dias de atraso. Então esse blogger pergunta: quantos americanos estão com as contas atrasadas 30 dias? 60 dias? 90 dias? Se bobear, quase 50% ou mais estão comprometidos.

Concluo que é muito fácil cairmos nas garras do consumismo americano. Caso você não saiba, para finalizar, o comprador compulsivo aqui tem tratamento que nem de drogas, álcool, e é tido como doença!

Friday, July 18, 2014

Alta Gestão leva sua primeira missão corporativa à Miami

Alta Gestão que é tido como o melhor grupo do Brasil na promoção de eventos cujo objetivo é a aproximação comercial e política entre as principais lideranças empresariais, representativas e sociais, leva a sua primeira Missão Corporativa à Miami já em agosto. 

www.usbrazilchamberofcommerce.com 
Aplicando as mesmas estratégias que fizeram o Alta Gestão sinônimo de networking qualificado e geradores de novos negócios aos participantes no mercado brasileiro, hoje em parceria com o U.S.-Brazil Chamber of Commerce, a primeira delegação se prepara para visitar a cidade do Doral,  onde será realizadas as famosas e cobiçadas reuniões. 

Programado e sujeito a aprovação, o grupo planeja visitar pontos relevantes como Porto de Miami, Aeroporto Internacional de Miami, terminal de carga de companhia aérea, dentre outros pontos de interesse para aqueles que consideram em fazer negócios com os Estados Unidos.

Maiores informações, diretamente com Alta Gestão no http://altagestao.com/missao-corporativa

Thursday, July 10, 2014

O que podemos aprender com a derrota do Brasil?

Você que nos acompanha nesse blog, deve estar se perguntando, o que tem haver esse blog com a derrota do Brasil de 7 x 1 para a Alemanha. 

Se você pensa e age que nem esse blogger, você tenta aprender com os seus erros e com os erros dos outros que é bem menos doloroso.

Se você faz negócios com os Estados Unidos ou pensa em um dia fazer ou até mesmo morar aqui em Miami, por exemplo, você pode aprender e muito com essa histórica e inesquecível derrota.

Como o mundo viu, mal começou o jogo, em um cochilo, o Brasil levou um gol. Bateu o desespero e levou logo mais quatro gols. Em 29 minutos a história do Brasil estava sendo reescrita! O sonho tinha acabado para 200 milhões de brasileiros.

Ok. Eu vi isso diz você...mas qual a relação do mercado internacional, dos Estados Unidos com toda essa história? A falta de preparo, responde esse blogger.

Esse blogger pode garantir à você sem margem de dúvida, que já viu muito mas muitos brasileiros em frações de segundos, não em 29 minutos, com total falta de preparo, tomarem decisões aqui na Flórida que destroem os sonhos familiares e que muitas das vezes acabam como o patrimônio familiar. Aí meu caro leitor, como diz o carioca, acabou o milho acabou a pipoca!

É curioso que apesar de quase 30 anos seguidos de imigração contínua, muitos brasileiros ainda ousam, ou se aventuram, ou arriscam tentar a vida ou empresariar abrindo qualquer negócio, sem nenhum planejamento. Comparecem aqui nos States totalmente despreparados.

É sabido que aqui é o país das oportunidades. Mas aí você me pergunta, como se preparar? Respondo sem pestanejar... fazendo o dever de casa, lendo tudo que é possível sobre o assunto que deseja, conversando com quem já veio e perdeu muito, frequentando trade shows e tendo a devida assessoria. Foco, determinação e muita disciplina fazem parte de um bom preparo.

Dentro da nossa experiência empresarial que modéstia à parte não é pequena nesse assunto, ainda mencionamos que deixar a vaidade no balcão de embarque no Brasil, ajuda muito.

Aprendemos aqui que sucesso é quando preparo encontra oportunidade. Estando você preparado, com certeza as oportunidades irão aparecer. Claro que não temos controle sobre os fatos e as pessoas, mas estando você preparado, a índice de sucesso será bem maior.

E quanto ao Brasil que perdeu, fechamos com uma bela frase de Henry Ford.

Fracasso é simplesmente a oportunidade de começar de novo, só que dessa vez de maneira mais inteligente. Henry Ford

O vídeo seguinte que está bombando na internet publicado pela Radio Bayern que nos mostra o que acontece quando não nos preparamos. Segundo o vídeo em não mais do que 11 segundos nossa alegria e sonho podem mudar!

Friday, July 4, 2014

Hoje é 4 de julho e os Estados Unidos comemoram o Dia de Indepedência.

O dia hoje é de celebração mas muitos nem lembram mais a razão desse feriado. Pensam só em um final de semana prolongado, praia para os que moram na costa, parques e hamburguers. E como sabemos, às 9 horas da noite a celebrada queima de fogos. 
Em alguns lugares você ainda consegue escutar músicas patrióticas mas em muitos lugares, ainda mais onde existem os bolsões de imigrantes, esse patriotismo tem sido comprometido...o que é uma pena.
Mesmo assim, uma das músicas preferidas é a God Bless America que originalmente foi escrita em 1918 por Irving Berling enquanto servia no exército americano.
Através dos anos a música foi evoluindo e sendo adaptadas por vários cantores como Le Ann Rimes e Celine Dion com diferentes arranjos, dando inspiração a outros compositores, sendo tocada quase que como obrigatoriedade nos grandes eventos esportivos e políticos americanos.
No aspecto político, a história conta que foi a música original foi tema de Franklin Delano Roosevelt em 1940. Na época a música representava a tolerância cultural e religiosa...como os tempos mudaram...
Um dos momentos mais históricos dessa música, e esse blogger se lembra disso, foi logo após 11 de setembro de 2011 quando na escada do Capitólio em Washington, D.C., republicanos e democratas cantaram unísono God Bless America. Foi um momento que a América chorava!
Mas para você entender um pouco mais desse patriotismo americano e o preço da liberdade que chega a ser comovente, veja o vídeo do YouTube e God Bless America com Lee Greenwood. Hoje 4 de julho de 2014 e o vídeo tem mais de 6.850.000 visitas! 

Na letra abaixo diz... And I won't forget the men who died, who gave that right to me. Sem demagogia e quem conhece de perto esse blogger sabe que é verdade, eu não esqueço e nunca esquecerei os homens que morreram e ainda morrem para me dar esse direito de liberdade. Meu muito obrigado. God bless America!

"God Bless The USA"

If tomorrow all the things were gone I'd worked for all my life
And I had to start again with just my children and my wife
I'd thank my lucky stars to be livin' here today
'Cause the flag still stands for freedom and they can't take that away

And I'm proud to be an American where as least I know I'm free
And I won't forget the men who died, who gave that right to me
And I'd gladly stand up next to you and defend her still today
'Cause there ain't no doubt I love this land God bless the USA

From the lakes of Minnesota, to the hills of Tennessee
Across the plains of Texas, from sea to shining sea
From Detroit down to Houston and New York to LA
Well, there's pride in every American heart
And it's time to stand and say that

I'm proud to be an American where as least I know I'm free
And I won't forget the men who died, who gave that right to me
And I'd gladly stand up next to you and defend her still today
'Cause there ain't no doubt I love this land God bless the USA

Tuesday, June 24, 2014

Feira da indústria de calçados acontece em Miami.

Uma das feiras mais tradicionais dos Estados Unidos no ramo de calçados acontece no final do mês aqui na cidade de Miami. Será do dia 29 de junho à 1 de julho. 
A Shoe Market of the Americas ou a SMOTA como é conhecido o evento é somente para os profissionais do segmento e não é aberta ao público.
Muitos brasileiros que comparecem a eventos especializados, às vezes reclamam de tais medidas porque dizem inibir aos que querem iniciar no segmento. Uma coisa é certa, o justo paga sempre pelo pecador. Não podemos esquecer dois pontos importantes.
1)    Tempo é dinheiro e tem muita gente jogando conversa fora com pura especulação nesses eventos atrapalhando não só os expositores como também os que querem realmente atenção.
2)  Afasta os "colecionadores de brindes”. Antes de torcer o nariz, temos que confessar que também já fizemos isso quando aqui chegamos em 1991. E claro, tudo que era brinde era novidade e de muita boa qualidade!
2)    Estudos de mercado mostram que as feiras que não são abertas aos públicos, agradam muito mais aos expositores e também aos que visitam. Eles possuem maior produtividade com melhores resultados após eventos.
Como qualquer trade show que acontece aqui nos States, as últimas tendências, com exibidores de diversos países que querem conquistar a América assim como visitantes de diversos países, disputam as atenções dos compradores e formadores de opinião que se apresentam no pavilhão.

Maiores informações direto no website http://www.smota.com 

Wednesday, June 4, 2014

É internacionalização de empresa, abrir uma empresa em Miami?

Com essa crise mundial varrendo todo o globo terrestre, mudanças radicais a níveis estratégicos, têm levado as empresas à internacionalização de uma maneira crescente de seus produtos e serviços.

O mercado externo e a prática da exportação como expectativa de crescimento econômico para uma empresa ou fábrica de maneira sustentável, tem sido a opção quase que número 1 para os empresários e fabricantes brasileiros; e a palavra da vez é internacionalização de empresas.

Mas é a internacionalização de empresa, abrir uma empresa em Miami? Claro que não! Mas parece que virou moda no Brasil dizer que sim, e quando se pensa em internacionalizar, se pensa em Miami. 

O que particularmente não achamos nada mal porque estamos aqui prestando serviços e também vendendo imóveis aos interessados.

Ousamos a dizer que abrir uma filial ou uma nova empresa em Miami pode ser o primeiro passo. 

Afinal com quase 300.000 brasileiros no Sul da Flórida, é difícil o interessado dizer que não tem um contato aqui para ajudar nesse novo desafio.

Tendo você uma boa assessoria empresarial aqui na cidade de Miami, não só você pode atingir o resto da Flórida, como outros estados dos Estados Unidos, como América Central e vários países da América do Sul.

Vir à Miami buscar negócios é uma obrigatoriedade do pessoal do cone sul. Porque não dizer até mesmo “chique’? Você frequentando os trade shows de Miami, você confirmará essa afirmação.

Como sabemos, o Brasil está cheio de profissionais que descem diretamente dos States para dar seminários de como abrir empresas, como negociar ou abrir um centro de negócios e/ou incubadora nos Estados Unidos. Um dia seremos nós porque também fazemos a mesma coisa.

Acreditamos que a praticidade e não facilidade do sistema, permite essa concorrência; ainda mais quando muitos falam português. Cabe você escolher o que atender as suas necessidades.

Você tendo uma boa assessoria comercial, jurídica, contábil, logística e de distribuição, de como instalar sua empresa no exterior, e se for o caso, imigração e compra de imóvel, suas chances de sobrevivência aumentam bastante, o que pode levar ao sucesso. Opa, peraí! Como é? Chances de sobrevivência? Como é isso? Como se diz aqui, ficamos felizes que você está nos perguntando.

Bem, se não te informaram ou se te informaram e você não acreditou, apesar de ser muito polêmico os percentuais de tão altos que são, tanto o SBA – Small Business Administration como o Dun & 
Bradstreet, afirmam que de 70% à 90% das empresas fecham nos dois primeiros anos! O restante, metade fecha nos próximos 3 ou 5 anos. Temos motivos para comemorar porque já operamos desde 2000!

Acreditamos que o percentual a essa altura do campeonato para você que quer abrir uma empresa em Miami não é mais importante, você não quer investir dinheiro, tempo, sonho e fechar, diz você.
O que fazer Richard? Você está me dizendo que não vale a pena abrir uma empresa em Miami? Dependendo do que você quer, claro que vale a pena, e vale muito. Como fazer? Você já está se perguntando! 

Se preparando com uma boa assessoria como mencionado acima. Na teoria é fácil mas na prática não. 

O brasileiro chega aqui, trazendo na bagagem a síndrome de Gabriela, eu nasci assim, eu cresci assim. 

Muitos trazem na bagagem vícios e modus operandi que não cabem no American Way of Doing Business. Muitos, principalmente os mais jovens que já fazem parte de uma geração que não conheceram e não conhecem autoridade e punição, acreditam que porque falam português estão no Brasil e querem fazer os negócios no jeitinho brasileiro, e botam a culpa no sistema ou na assessoria quando dá errado.

Mas e o sucesso? Como se diz aqui, sucesso é quando preparo encontra a oportunidade!

Monday, May 26, 2014

Hoje é Memorial Day aqui nos Estados Unidos. O imigrante lembra de que?

Muito confundido com o Veterans Day, o dias dos Veteranos de Guerra que é para homenagear todas os que já serviram nas forças armadas americanas; o Memorial Day é para todos aqueles das forças armadas que morreram servindo esse grande país. 
Talvez não faça sentido para você que está lendo esse post. Mas se eu estou escrevendo e você está lendo, chances são porque um jovem, um pai de família, um marido, ou filho morreu para que nós pudéssemos ter liberdade.
Muitos encaram esse feriado nacional como simplesmente a abertura do verão americano. Literalmente falando não estão “nem aí” para a dor das famílias destruídas que ficam. Nos entristece muito o coração ver principalmente os imigrantes, muitos brasileiros inclusos, virem para cá e tirar só vantagens da terra e não querer construir nada para a comunidade. Demonstram total desrespeito para com o país! 

Para os que nunca prestaram atenção ou nunca foram informados, registramos aqui uma coisa que logo confirmamos quando aqui chegamos em 1991: Liberdade não é de graça! E não existe maior sacrifício do que dar a própria vida por um país, por um ideal. Se você não acredita, vá visitar o Cemitério Militar de Arlington em Virginia, bem pertinho de Washington, D.C. Costumamos dizer que esse cemitério deveria ser passagem obrigatória para o mundo inteiro ver, principalmente para todos que residem nesse país, quanto custa a liberdade, quanto custa a democracia. Aqui você aprende que democracia vai além dos votos!
Esse blogger confessa: eu não faria por eles o que eles fazem por mim. E acredito que você também não faria.
Você se vê no deserto agora, no total desconforto, sem saber quando vai voltar para casa, arriscando a sua vida por uma pessoa que não conhece? Por um sistema político que questiona? Acredito que não! Por isso o meu eterno respeito e eterna gratidão, e passo esse sentimento para meu filho que é americano nato. Tive a oportunidade de anos atrás visitando Arlington, falar mais ainda como tenho falado e ensinado, nunca deixar de dar valor a esse sacrífico pela liberdade.
Nossa pequena homenagem nesse belo vídeo abaixo. Escute a música de fundo, preste atenção nas imagens e se coloque no lugar dos familiares e amigos. Se o seu coração não estiver apertado até o minuto 4:40, talvez o tradicional toque do silêncio mexa com você. Veja também a partir do minuto 5:45 o histórico das guerras. Liberdade não é de graça!

Thursday, May 22, 2014

Cidade de Miami é aprovada como Centro Regional para o visto de investidor EB-5

Agora é oficial. A cidade de Miami recebeu a aprovação para se tornar um Centro Regional para o visto de imigração EB-5. 

Leia em inglês o press release oficial da Cidade de Miami

A saber, os Centro Regionais são área geográficas de qualquer tamanho dentro de um estado, podendo  ser até todo o estado, ou uma cidade inteira como Miami ou meio quarteirão, desde que essas áreas sejam bem definidas e aprovadas pelo governo americano.

O objetivo maior desses Centro Regionais é o desenvolvimento econômico da região. Com os investimentos externos que são aplicados nessa região bem definida e concentrada, a geração de novos empregos de todos os níveis acontecem quase que de imediato. 

Como sabemos, nesse cenário de turbulência internacional nada melhor do que saber que uma região definida e concentrada, está para receber uma injeção de milhões de dólares que irá influenciar gerações por vir.  
Com certeza é uma grande notícia para o Sul da Flórida. Sugerimos o leitor a ler matéria nossa publicada dia 15 sobre o programa de EB-5, logo abaixo, chamada "É o visto de imigração EB-5, a melhor maneira de imigrar para os Estados Unidos?"que está dando um tráfego muito forte no nosso blog.

Thursday, May 15, 2014

É o visto de imigração EB-5, a melhor maneira de imigrar para os Estados Unidos?

Se você pensa em morar nos Estados Unidos, uma coisa que terá que se acostumar é com os disclaimers. Ou seja, são documentos e/ou avisos que você dá a parte interessada que não existe responsabilidade da sua parte de maneira nenhuma.
Isto posto, o que você vai ler abaixo é pura opinião nossa, não substitui e nunca substituirá o aconselhamento e orientação do seu advogado de imigração.
EB-5 é o visto de imigrante investidor de Quinta Preferência Baseado em Emprego, ou como se diz em inglês, Employment Based Fifth Preference.
Na nossa opinião e na nossa experiência como imigrante, pelas histórias que temos escutado e acompanhado ao longo desses mais de 20 anos aqui nos Estados Unidos, esse visto para investidor imigrante EB-5 que começa a ficar em evidência não só no Brasil como no mundo, se não for o melhor e mais seguro para os que tem dinheiro, é um dos melhores e dos mais seguros. Pergunta você porque:
Porque quando você investidor investe no mínimo US$ 500 mil dólares em um projeto já aprovado pelo governo americano, onde esse projeto emprega diretamente por no mínimo dois anos, mais de 10 residentes legais em folha de pagamento por no mínimo 35 horas por semana, e as chances de você e sua família sair com o cobiçado e sonhado Green Card em dois anos é praticamente certa. 
E uma vez portador por cinco anos do Green-Card definitivo, você pode aplicar a cobiçada cidadania americana. 
Você já deve estar se perguntando, vou investir meio milhão de dólares e ainda corro o risco de não conseguir o Green Card? Sim, desde que você não saiba escolher esses projetos porque como qualquer negócio e investimento existe risco, e claro muitos aproveitadores!
O índice de sucesso desses Centro Regionais onde seu dinheiro será investido são muitíssimo alto, daí o sucesso do EB-5. Esses projetos chamados Centro Regionais já foram analisados com todo o cuidado com planos de negócios, estudos demográficos, projeção de vendas, estratégias de marketing e vendas. Mas como o marketing nos ensina, toda pesquisa é inexata por natureza!
O interessante desse visto é que mesmo depois dos dois anos o projeto fracassar, o seu Green Card e da sua família está garantido. Aí você pergunta, mas cadê meu dinheiro? Podemos garantir à você que muito brasileiro perdeu muito mais de US$ 500 mil dólares tentando o Green Card com negócio próprio e não conseguiu.
 De qualquer maneira, o EB-5 para o imigrante endinheirado tem demonstrado ser a melhor maneira. Mais uma vez, muitos brasileiros vieram para cá com milhões de dólares, e antes de você acabar de ler esse texto, perderam tudo. Leia de novo porque nós escrevemos tudo; e acabaram voltando para o Brasil sem dinheiro e sem visto de residente. Você de repente conhece alguém e se não conhece, não é difícil conhecer alguém que conhece alguém que perdeu tudo porque quis abrir o próprio negócio, trazendo na bagagem a síndrome de Gabriela, eu nasci assim e cresci assim, com a vaidade resistindo o American Way of Doing Business.
Uns dizem que sim outros dizem que não, mas do nosso ponto de vista, um dos maiores desafio é o brasileiro que aplica para o EB-5 provar a origem do dinheiro. 
Como sabemos, no Brasil devido a estrutura fiscal, muitos fazem e acumulam riquezas e não as declaram. 
Temos que ter em mente que como se diz no mercado, apesar do EB-5 ser chamado visto de investidor, esse visto não te faz rico. Se você quiser “investir” no seu futuro, no futuro do seus filhos e da sua família, vivendo com segurança, qualidade de vida desfrutando desse grande país, é um maneira oficial e muito rápida de ser tornar residente legal nos Estados Unidos e mas não de enriquecer!
Se você consegue ler em inglês ou em espanhol, você consegue todas as respostas das suas dúvidas no website oficial U.S.Citizenship and Immigration Services (USCIS).  No topo da direita, você encontra o campo SEARCH que é de BUSCA, escreva a palavra EB-5 e clique. Você encontrará dezenas de links que com certeza responderão suas perguntas.

Tuesday, May 13, 2014

Flórida ou Delaware? Qual o melhor estado americano para abrir uma empresa?

Como se diz aqui nos Estados Unidos, essa é a resposta de US$ 1 milhão de dólares. Para você brasileiro que pensa em ser imigrante, tudo depende do que você quer com o país. 

Muitos só pensam no aspecto pagamento de impostos. 

Baseado na nossa experiência de quem mora desde 1991 e empresaria nos Estados Unidos desde 1995, sugerimos que esse ponto não deva ser o principal na escolha do estado. E claro, a consulta ao seu advogado e contador, caso decida abrir empresa é obrigatoriedade.

A conceituada revista Chief Executive junto com seu website acaba de publicar uma pesquisa pelo décimo ano consecutivo, muitíssimo interessante, que acreditamos irá polemizar no meio de muitos brasileiros.


Resumindo, Texas aparece como melhor estado. Califórnia como o pior, ocupando a posição de 
número 50. 

O estado de Nova York ocupa o número 49. Flórida é o segundo melhor estado, e Delaware que para muitos é o melhor, de acordo com essa pesquisa é o de número...clique o link porque você vai se surpreender. Navegue no link e tire suas conclusões.

Monday, May 5, 2014

Feira de Restaurante em Chicago recebe brasileiros

O mercado de restaurante americano e mundial se prepara para o grande evento da National Restaurant Association (www.restaurant.org) que acontecerá de 17 à 20 do corrente na cidade de Chicago, no estado de Ilinois. 
Brasileiros de diversos segmentos relacionados a restaurante, estão se organizando para comparecer a esse evento de alcance internacional. Se você é importador ou quer ser importador no segmento, é o lugar para estar no final do mês.
A saber, a receita bruta da indústria de restaurante só nos Estados Unidos foi calculada em US$ 660 bilhões em 2013.
Para cada US$ 1.00 gasto no segmento, outros US$ 2.00 são gerados nas indústrias correlatas. 
O impacto total da indústria de restaurante é calculado em US$ 1.8 trilhões de dólares.
Existem ao redor de 980.000 restaurantes nos Estados Unidos.
As vendas do setor correspondem a 4% do PIB americano.
Para cada 10 posições geradas de trabalho no país, 1 pertence o setor de restaurante.
Apesar desses números extraordinários e animadores, o segmento de restaurantes é tido como um dos mais competitivos e regulados pelas autoridades americana.
Mais uma vez, para o brasileiro que tem uma certa resistência a seguir regras, regulamentos e leis, não sabemos se é o negócio mais adequado para aqueles que sonham em montar um negócio na América.

Thursday, May 1, 2014

Você compra no Amazon.com e manda entregar na Flórida? Acabou a moleza de não pagar taxa!


Pela legislação do Departamento de Receita do Estado da Flórida, a partir do momento que a empresa tem presença física no estado, o pagamento de taxas nas vendas, como o ICMS no Brasil, passa a ser mandatório. 

Como a Amazon já anunciou a abertura de dois centros de distribuição no estado até o final do ano, o estado já começou a cobrar.

Você que mora no Brasil, compra no Amazon e manda entregar na casa de amigos ou parentes em Orlando, Tampa, Miami ou qualquer cidade, prepare-se para pagar mais no valor da compra.

No estado da Flórida o famoso sales tax varia de 6% à 7.5% dependendo da localidade que você se encontra. No caso da Amazon.com tanto o Condado de Hilborough como o de Polk, cobram 7%.

Para você se posicionar, a Federação Varejista do estado calcula que o estado arrecadará só da Amazon.com 80 milhões de dólares por ano.

Precisamos dizer que a pressão dos estados americanos em cima dos grandes sites da mesma natureza está muito forte? Caso você não saiba, a pressão dos donos desses sites fazendo lobby em Washington para que o pagamento de taxas não venha acontecer, é igual ou maior.

E assim a economia americana vai rolando...

Thursday, April 24, 2014

Comprar ou fazer leasing de um carro nos Estados Unidos. Pode ser um dia de miserável na sua vida!

Opa, agora acreditamos que chamamos a sua atenção. 

Uma das definições do dicionário Merriam-Webster da palavra miserável é causing extreme discomfort or unhapiness. Ou seja, um extremo desconforto ou infelicidade.

Essa matéria é longa mas pode te economizar milhares de dólares!

Como é essa história de dia miserável na sua vida se você está adquirindo um carro zero? Os próprios americanos classificam essa experiência como miserável porque o que você passa na maioria das vezes com vendedores de carros nas concessionárias, são traumatizantes!

Se você decide mudar para os Estados Unidos, comprar ou fazer leasing de um carro e sair perguntando aos brasileiros, com certeza você escutará muitas histórias absurdas de consumidores que foram lesados de maneira indecorosa.

Você que está lendo essa matéria, acredite no seguinte. O golpe no Brasil muitas das vezes é na mão grande, aqui é no contrato!

Nesses mais de 20 anos de América, esse blogger conhece muitos brasileiros que tiveram o padrão de vida afetado e comprometido porque na hora de fechar a venda, vendedores “entubaram” outras despesas e fecharam uns números que não foram acordado na hora da venda.  Como assim, pergunta você?

Saiba você que existe toda uma atmosfera e estratégia para “te arrebentar e sem perdão”. Você acha que estamos exagerando? Se você lê em inglês, busque no Google.com , car dealer scams, car dealer tricks, car dealer ripp off e tire suas conclusões. 

Mas aí você pergunta, o que fazer? Faça o dever de casa e pesquise muito antes de adquirir qualquer carro, e siga algumas regrinhas básicas que irão te economizar alguns milhares de dólares durante o termo do leasing ou do financiamento.

Esse blogger mesmo com todo conhecimento que possui em leasing, em um piscar de olhos, foi lesado no início do mês na concessionária Bill Seidle Nissan aqui no Doral em US$ 468.00!! Preste bem atenção nas armadilhas que te envolverão! 

Como se diz, abaixei a minha guarda, confiei quando não devia ter confiado, e em segundos “dancei”. Quando vi que tinha sido lesado começaram com a postura que fazem muito bem. Jogo de empurra, subestimando a sua capacidade, te puxando ao extremo.

Você tem duas opções, ou dá uma de maluco como já dei várias vezes e “arria o barraco” ou você “engole tudo, contabiliza o tempo perdido, o começar de novo, enfim, você deixa rolar e busca o conforto na famosa que DEUS tem mais para dar do que o ladrão para roubar.

Queremos deixar bem claro, que jamais endossaremos nenhuma concessionária de automóvel em relação à atendimento e honestidade; mas se você está buscando preço, vale a pena dar uma conferida nas grandes cadeias nacionais.

Se você acompanhar até mesmo as propagandas na TV, a diferença de preço chega a ser de quase US$ 5 mil de outras concessionárias. E acredite, para você ter um desconto de quase US$ 5 mil em um carro em outra concessionária, separe umas boas horas e muito stress!

Mesmo assim, não esqueça de fazer o dever de casa.

1)      Saiba que não existe amizade entre você e o vendedor das concessionárias.

2)      Acesse www.leaseguide.com . Esse site é muito informativo e esclarecedor.

3)      Depois de estudar o assunto, escreva os pontos que você não pode esquecer na negociação; tipo milhagem, prazo de pagamento e qualquer outra despesas extras que não quer. Mais uma vez, tudo que você descobrir que não quer durante sua pesquisa, escreva para não ser traído pela memória.

4)      Negocie o preço do carro tanto no leasing como no financiamento. Sim, você também negocia preço do carro no leasing!

5)      Nunca vá sozinho ao dealer. Isso é super importante. Eles trabalham em equipe, fazem isso o dia inteiro, alguns por anos e sabem muito bem ler as fraquezas dos consumidores. Leve alguém que entenda pelo menos um pouco de leasing ou financiamento, que você confie, que queira lutar pelos seus interesses. Tenha essa pessoa para controlar a sua impulsividade e falar não quando necessário. Todo o foco e pressão será em cima de você. Irão fazer tudo para te derrubar! Acredite!

6)      Leve cópia do seu documento. Nunca entregue o original. Eles para te prenderem na concessionária durante horas, pegam sua Driver License “dizem que é para copiar” e somem. Eles sabem que você não vai embora sem o documento. Se você entregar a cópia, eles te encherem o saco e você quiser ir embora, é só levantar e tchau.

7)      Nunca vá com fome. As chances são que você pode ficar até mais de 3 horas esperando, enfraquecendo suas capacidades mentais, para eles tirarem vantagem. Isso é fato.

8)      Leasing é um jogo de números. Você está pagando pela depreciação do automóvel. De um modo geral, em três anos (36 mêses) o carro desvaloriza 50%. Se no somatório entre entrada e prestação, você estiver pagando mais de 50% do valor do carro, chama a polícia! Você está sendo roubado descaradamente!

9)      Caso saiba escrever em inglês e tenha intimidade com computador, tente fazer toda a operação pela internet. Se as concessionárias anunciam agressivamente o website, e hoje você compra até imóvel pela internet porque não carro?!

10)   Para fechar os 10 passos, aplique os nove passos acima! 

Se você leu essa matéria até aqui deve estar se perguntando, será que não tem nada de bom em pegar um carro zero? Claro que tem, carro zero é sempre um carro zero.

Acontece que estudos mostram que 80% dos consumidores não negociam os carros que adquirem na concessionária. Isto posto, quando você entra na loja, os vendedores partem do princípio que você é mais um desinformado que se encanta com o cheiro do carro novo e vão trabalhar a sua vaidade com perguntas bem direcionadas e prometendo tudo de bom! 

É muito comum você acertar tudo com o vendedor e até mesmo com o gerente, e na hora da assinatura do contrato como eles sabem que a maioria não confere, mudar o cenário já préviamente acordado. 

Em resumo: se você não se preparar, tenha certeza que será traumática sua experiência e você pode pagar muito mas muito caro por um carro, seja leasing ou financiamento.