Thursday, May 4, 2017

Feira de restaurante acontece em Chicago, Illinois. EUA. Maio 2017.

Se você segue esse blogger, você sabe que ele é fã das feiras e eventos nos Estados Unidos. Inclusive ele possui no canal de negócios no You Tube, um vídeo muito interessante chamado Marketing de Feira ou Exposição nos Estados Unidos

Para aqueles que são entusiastas, admiradores de uma boa comida e tendências, cozinheiros, chefs, dono de restaurante, importador ou exportador, o lugar para estar esse mês é em Chicago.

O mercado de restaurante americano e mundial se preparam para o grande evento da National Restaurant Association (www.restaurant.org) que acontecerá de 20 à 23 do corrente na cidade de Chicago, no estado de Ilinois. 

Como nos anos anteriores, brasileiros de diversos segmentos relacionados a restaurante, estão se organizando para comparecer a esse evento de alcance internacional.

Aos que planejam comparecer, incentivamos a navegar no site oficial e prestar atenção nos happy hours. Como podemos imaginar, comida e bebida, não será problema!

Maiores informações sobre esse evento, favor acessar o site https://show.restaurant.org

Ou os que precisam assessoria para ir a essa ou qualquer feira não só como visitante mas como expositores nos Estados Unidos, Canadá ou qualquer outro país, favor contatar Moriah International, Inc na Flórida. 

Wednesday, May 3, 2017

Indústria Brasileira ou Made in Brazil? Qual o certo?

Depende do mercado de destino. 

Se você é fabricante brasileiro e vende para o Brasil e ou exporta para qualquer país onde as embalagens escritas em português, são aceitas, você pode escrever Indústria Brasileira.

Mas se você quer entrar no mercado internacional, seja americano ou qualquer outro, com sua embalagem em inglês, o certo é e sempre será Made in Brazil.

Chega a ser assustador a quantidade de fabricantes brasileiros que nos apresentam embalagens escritas Brazilian Industry, com erros gramaticais, erros de conversão de pesos e medidas! Um tremendo balaio de gato! Mas é melhor ver do que ser cego!

Mostrando que não possuem espírito de excelência, muitas das vezes usando o Google como tradutor, essas empresas se recusam a contratar profissionais qualificados que existem no Brasil, apelando a um recurso gratuito, comprometendo assim o posicionamento da marca/produto nos Estados Unidos.

O pior de tudo é que esse tipo de exposição junto ao comprador especializado, ao longo do tempo, compromete toda a indústria brasileira. Você pode até achar que estamos exagerando mas não!

Vai nos dizer que você não conhece alguém que diz que o chinês é assim porque ele conhece um chinês? O crítico esquece que na China existe mais de 1 bilhão de chineses; mas ele conheceu 1 na 25 de março em São Paulo ou na pastelaria, e diz que o chinês é assim! Você já deve ter escutado isso...

A mesma coisa acontece por aqui. O comprador americano começa a ver tanto amadorismo que começa a rotular a indústria brasileira de “amadora” e começa dificultar nossa aproximação.

Em uma país que tem uma fábrica chamada Embraer que encanta o mundo com seus aviões e avanços tecnológicos, não vem dizer a esse blogger que as indústrias não sabem preparar e formatar uma embalagem nos padrões americanos para que o produto seja posicionado nos Estados Unidos.

Como se diz por aqui, there is a will, there is a way. Onde existe vontade, tem um caminho.

Tuesday, May 2, 2017

Feira de lixo acontece em Nova Orleans.

Aqui nos Estados Unidos, devido a linguística é falado que seu lixo pode ser o tesouro de alguém, your trash can be somebody treasure.

 Esse evento com o passar dos anos, está tomando uma importância que começa a chamar atenção da indústria. 

A saber, em 2016 quase 13.000 pessoas, sendo 1.006 dessas originários de 80 países! 
A próxima vez que você ver, uma pessoa jogando um papel no chão “sem querer”, saiba que existe toda uma organização e logística por trás, para coletar e processar esse lixo.

Para todos aqueles que não acreditam que se faz dinheiro com lixo e que lixo é uma coisa muito organizada, acontece agora no mês de maio dos dia 8 à 11, no Ernest N. Morial Convention Center, em Nova Orleans, Lusiânia, a Waste Expo 2017.

Aos que desejam mais informação, favor visitar o site original do evento www.wasteexpo.com

Monday, May 1, 2017

Empresa brasileira de conversão de marca faz transmissão ao vivo de Miami

In.guide Brand Conversion, empresa paulista comanda por Primo Junior, que também comanda a Sinais e Publicidades de Campinas e São Paulo, em uma transmissão live pelo Facebook, apresentou ao seus seguidores no Brasil, de maneira muito descontraída, um pouco da metodologia PFP junto com Richard Sanchez da Moriah International, Inc da cidade do Doral, que fica situada no Condado de Miami-Dade no estado da Flórida.

Essa nova aliança estratégica que estará tratando de toda parte visual e de identidade, promete atender o exportador brasileiro de qualquer tamanho e natureza que sonhe com o mercado americano.

In.guide Brand Conversion é especializada em internacionalizar marcas e produtos, formatando as empresas para se comunicarem com diferentes mercados.

Veja vídeo:


Thursday, April 13, 2017

Qual a relação do incidente da United Airlines com você que pensa em expandir seus negócios para os EUA?

Não temos como falar diferente mas o mundo ficou chocado com o “atendimento” que a United Airlines deu dias atrás, a um asiático residente americano, que se recusou a ceder o assento devido a um overbooking

Como não poderia deixar de ser, a imagem foi viral; e a United Airlines perdeu quase US$ 1 bilhão de dólares na bolsa em 48 horas. Fora o que ainda vem por aí!...

Como sempre acontece em situações onde a opinião pública se empolga,  o botão do damage control ou contrôle de prejuízo ou panic button foi acionado. Mas já era muito tarde, a imagem do passageiro, gritando, sendo literalmente arrastado de uma maneira inimaginável para fora da aeronave já tinha percorrido o mundo.

Agora, os advogado já estão montando uma bela estratégica jurídica, que tudo leva a crer que essa vítima ficará rica com o processo a ser aplicado na companhia aérea, na polícia e em todos que contribuiram até mesmo como coadjuvante nesse incidente. Welcome to America! 

Ok, entendi! Mas onde entra eu nessa história que estou pensando em abrir uma loja, uma empresa ou qualquer outro negócio nos Estados Unidos? Qual a relação? Pergunta você.

No processo!

Como assim? Você continua perguntando!...

Amigo, não cansamos de esgotar que caso você considere qualquer atividade que envolva público, você terá que ter um seguro de responsabilidade civil, como chamamos aqui, liability. Isso é muito sério, e todos nós que empresariamos aqui nos Estados Unidos, estamos sujeitos a isso. Muitas empresas fecham as portas devido aos milionários processos. Mais uma vez, welcome to America!

Lembramos à você que sonha em empresariar nos States, que não temos gerência nem nos fatos, nem nas pessoas mas sim na maneira que podemos nos preparar para esses desafios dentro da cultura americana empresarial e comercial.

Com um seguro de responsabilidade civil, o dono do negócio terá a paz necessária para concentrar no desafio do dia-a dia do negócio.

Como visto, a solução para lidar com os desafios com o público, é relativamente simples. Quem complica é quem não aceita e quer torcer a cultura. Acontece que quando uma situação dessa magnitude acontece, desafia e contraria até mesmo toda uma indústria e cultura! 

O que a United Airlines fez com esse passageiro, fica difícil de encontrar uma palavra em qualquer língua para definir e principalmente para justificar tal decisão, seguida de tal atitude. 

Caso ainda não tenha visto o vídeo, veja o mesmo postado pela Business Insider. Quando você pensa que já viu tudo na vida...não! Você ainda não viu!...aí vai...


Monday, April 10, 2017

O lado bom de empresariar nos Estados Unidos

Muitos perguntam a vantagem e desvantagem de empresariar nos Estados Unidos.

Na experiência adquirida desde 1991, frequentando uma quantidade incontável de seminários, feiras, conferências ao redor desse país, esse blogger diz que o lado bom de empresariar nos Estados Unidos, é que tudo é formatado.

Quando o empresário/fabricante brasileiro entende esse conceito de formatação, que carrega toda uma cultura comercial americana com uma identidade visual prórpia, com seus compliances e regulamentos, tudo muda.

Quando tudo muda, o empresário/fabricante começa a entender que quando ele entende a indústria de qualquer produto ou segmento, ele entende o mercado.

Ou seja, quando você entende a indústria, você entende o mercado...mas a recíproca, não é verdadeira! Isso é fato!

Não podemos esquecer que a formatação é que fez, faz e sempre fará a indústria de franquia ser o que é.

É comum aqui falarem que tudo é igual. Depois que você entende o sistema, tem um fundo de verdade nisso.

Por isso o empresariado brasileiro quando aqui chega, tem que aprender a trabalhar com aquilo que o governo local, estadual e/ou federal oferece gratuitamente.

E enquanto no Brasil, o empresário brasileiro terá que se preparar, formatar, para se posicionar para resultados no mercado americano.

Veja vídeo para suas conclusões:


Saturday, April 1, 2017

Cerâmica, granito e mármore – empresas brasileiras fazem presença na Coverings em Orlando.

O mundo da cerâmica, granito, mármore e de outros tipos de “pedra” que embelezam as construções, sejam residenciais ou comerciais, se encontram na semana que vem, em um das maiores feiras do mundo. 

Acontece em Orlando, na Flórida, no tradicional Orange Convention Center, de 4 à 7 de abril, a feira Coverings 2017. Veja link www.coverings.com

Com uma boa presença de empresas brasileiras, as mesmas irão competir com mais de 1.100 expositores, de 40 países, espalhados em quase 15 kilometros de espaço de exposição.

Esse blogger e consultor, parabeniza à todas as empresas brasileiras que irão participar desse evento, porque entendem que feira ou trade show é cultura americana.

Aos mais curiosos sobre essa cultura, favor acessar vídeo Marketing de Feira ou Trade Show nos Estados Unidos http://preview.tinyurl.com/mkttdshow

E se você que pensa em exportar para os Estados Unidos, visite o link de exibidores desse evento e confirme quantas empresas brasileiras já estão se esforçando para conquistar uma fatia desse mercado. E você?

Saiba você que considera exportar, terá uma grande chance de escutar algumas das seguintes perguntas dos compradores americanos.
  • Você já teve na Coverings?
  • Você já expos na Coverings?
  • Por que eu tenho que comprar da sua empresa e não de uma outra empresa brasileira que     expõe na Covering?
  • Por que eu tenho que comprar da sua empresa e não de qualquer outra que expõe na             Covering?
  • Qual a vantagem que você me daria para tentar a sua empresa?
  • Qual o seu diferencial das demais que já venho comprando há anos e tem me atendido           perfeitamente?
  • Qual o seu prazo de pagamento para testar o seu produto?
  • Qual a sua capacidade produtiva?

Fora outras perguntas que o comprador irá fazer, se você acha que estamos exagerando, caia em campo e nos prove que estamos errados!