Friday, October 1, 2010

Eleição no Brasil...o que pode mudar? O que não muda?

Para nós que somos empresários e principalmente para nós que fazemos comércio internacional, acompanhar de pertos os acontecimentos políticos é uma obrigatoriedade.

Não podemos negar que não só o mercado americano mas como o mundo observa atentamente o que acontecerá dia 3 de outubro nas eleições no Brasil...e quem será o novo presidente.

Estudando e pesquisando esse assunto aqui nos Estados Unidos deparamos com dois pensamentos de dois ilustres que vale a pena ler e refletir.

Durante a aprovação da constituição Americana pelas 13 colônias em 1786, o profressor e historiador Alexander Taylor, da Universidade de Edinburgo, escreveu o seguinte sobre a queda da república de Atenas. Tentaremos a versão mais exata possível.

“A democracia sempre tem uma natureza temporária; e não pode existir como forma permanente de governo. A democracia continuará a existir até que o eleitor descubra que eles podem votar objetivando presentes generosos dos cofres públicos. Desse momento em diante, a maioria irá votar nos candidatos que prometerem mais benefícios do tesouro público; e o resultado de toda democracia será o colapso devido o afrouxamento do dinheiro público, que sempre seguirá por uma ditadura”.

Para endossar mais ainda essa citação da época, o grande Benjamin Franklin ainda disse que quando o povo descobrir que eles podem votar por ajuda financeira será anunciado o fim da república.

O professor Taylor vai mais fundo ainda...diz que a vida de uma democracia nas grande civilizações (Lifespan of a Democracy) é ao redor de 200 anos. A sequência progressiva é a seguinte:

• Da “escravidão” ao crescimento espiritual.
• Do “crescimento espiritual” à grande coragem, onde lutamos pela nossa liberdade e direitos.
• Da “grande coragem” à liberdade.
• Da “liberdade” à abundância.
• Da “abundância” ao egoísmo.
• Da “egoísmo” à complacência.
• Da “complacência” à apatia que é o controle mental da massa.
• Da “apatia” à dependência.
• Da “dependência” de volta à escravidão, onde trocamos a liberdade pela segurança.

Para aqueles que acham que americanizamos demais nossos exemplos, segue uma frase de Machado de Assis dita em 15 de agosto de 1876…quase 100 anos depois dos pensamentos acima que foi muita divulgada nessas eleições.

“ 70% dos cidadãos votam do mesmo jeito que respiram: sem saber porque nem o quê. Votam como vão à festa da Penha...por divertimento”.

É uma triste revelação centenária e por acaso você conhece algum país onde isso poderia estar acontecendo?

No comments:

Post a Comment