Sunday, May 29, 2016

Memorial Day não é Dia dos Finados nos Estados Unidos! E muitos brasileiros que moram aqui...

Hoje é Memorial Day nos Estados Unidos. Contrário a que muitos brasileiros pensam e principalmente muitos brasileiros que moram nos Estados Unidos, hoje não é Dia dos Finados. 

Hoje é um dia que a nação pára para homenagear os que deram a vida para fazer desse país um grande país. Muitos eventos e documentários emocionantes para homenagear esses miltares.

Acontece que com o passar dos anos, assim como outros feriados, o motivo do Memorial Day, começa a perder efeito pela força comercial. Se bobear, muitos associam esse dia com barbeque (churrasco) no parque e praia. Triste assim mas é verdade. O Natal não está perdendo a essência de tão comercializado?

Voltando ao Memorial Day, esse blogger fica pasmo e até mesmo irritado, quando muitos brasileiros que moram aqui, que saem do Brasil, assim como saí em 1991, não tem o mínimo de respeito pelos que morrem para eles poderem estar morando e desfrutando desse país.

Muitos brasileiros fogem de um Brasil que de uma maneira ou outra devem ter contribuído na construção. Existe uma boa chance de terem votado e re-eleito o PT, ou seja, foram cúmplices com a bandalheira.  

Chegam aqui principalmente em Miami e Orlando ou qualquer outra cidade da Flórida, ou até mesmo Nova York, que são as cidades preferidas dos brasileiros, ainda enchem o peito como se estivessem cheio de razão, dizendo que não vão contribuir com a sociedade.

Saiba você que o não falar inglês, não é motivo para somar. O motivo é mentalidade e egoísmo mesmo! Pior ainda, são os brasileiros que se naturalizam americano e dizem: não vou votar porque não acredito em político nem em política.

Amigos, costumo dizer o seguinte: Se você não quer votar porque não acredita nem em político nem em política, vota pelo menos para homenagear aquele que morreu para te dar liberdade, para você estar falando o que está falando agora.

Como curiosidade a parte, esses brasileiros que agem desse maneira, estão propensos a "criatividades" jurídicas e contábeis que os brasileiros desenvolveram ao longo da história, e fizeram com que chegássemos ao ponto que "impressiona' o mundo em maio de 2016.

É assustador, é frustrante a ignorância de muitos Brazilian Americans. Hoje que estamos em um ano eleitoral, é fato que os poucos que irão votar, apesar de ter direito e o dever cívico, dizem que votarão sem ter a mínima noção do plano de governo ou histórico do candidato. Criticam Trump ou Hillary em cima do que falaram, não do dever de casa. Uma tristeza...ou seja, continuam com a mesma irresponsabilidade cívica que tinham no Brasil. Eles sairam do Brasil mas o Brasil não sai de dentro deles.

Sou grato a esse país. Sou orgulhoso de ser Brazilian-American, sou orgulhoso de ter uma semente americana, que é meu filho. Você leitor não tem razão de acreditar nesse blogger mas cada vez que escuto ou leio que um jovem morreu na guerra, oro pela família. Igualmente oro pelas autoridades desse país para tomarem as decisões certas. Sou eternamente grato a esses jovens que morrem para que eu possa desfrutrar desse grande país chamado Estados Unidos. 

Considero Memorial Day um dia muito sério. Veja minha pequena homenagem com o belo e emocionante vídeo produzido pelo Editorial Team. 


Thursday, May 19, 2016

Você que têm dinheiro ou imóveis aqui fora. Declare ou repatrie enquanto tem tempo

Aos mais desavisados, aos que não acreditam que o Brasil mudou, aos que possuem dinheiro ou imóveis nos Estados Unidos ou qualquer outro país não declarados à Receita Federal brasileira, informamos: acabou a festa! 


 Caso seja você leitor, esteja preparado para repatriar ou declarar o ativo. O seu prazo é até dia 31 de outubro desse ano. Coincidência ou não, o Brasil aprendeu que dia 31 de outubro é Dia das Bruxas. Dia de Halloween! Deixaremos a sua imaginação ligar a data a nova lei.

Se você ainda não escutou fala na Lei da Anistia ou Lei da Repatriação. Leia com bastante atenção a matéria que poderá ser a matéria mais importante que você leu nos últimos anos. Vamos a lei.

O que é o RERCT?

O Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária foi instituído pela Lei nº 13.254 de 13 de janeiro de 2016, comumente conhecida como “Lei da Anistia” e “Lei da Repatriação”.

Em 11 de março de 2016, o RERCT foi Regulamentado pela Instrução Normativa nº 1.627/16.

Tem por objetivo a declaração voluntária de recursos, bens ou direitos de origem lícita, não declarados ou declarados incorretamente, remetidos ou mantidos no exterior ou repatriados por residentes ou domiciliados no Brasil.

Além de assegurar o perdão de créditos tributários, obrigações acessórias e multas conexas, perdoa multas e penalidades relacionadas à não entrega de declarações de capitais brasileiros no exterior na forma definida pelo Banco Central do Brasil e extingue a punibilidade dos crimes associados à sonegação fiscal, evasão de divisas, lavagem e ocultação de bens, direitos e valores, falsificação de documentos públicos e/ou privados, falsidade ideológica e uso de documento falso.

O prazo final para a adesão ao RERCT é 31 de outubro de 2016. 

Devido a seriedade da lei, desnecessário seria dizer que a partir da data acima, multas e severas penalidades criminais serão aplicadas `a todos aqueles que não se apresentarem.

Se esse assunto te interessa ou alguém que você conhece, e deseja contato, favor preencher formulário de contato no site www.moriahinternational.com ou então chamar no telefone 305-591-0309 no horário comercial de Miami na Flórida.  Advogados e consultores que esse blogger tem aliança estratégica no Rio de Janeiro e São Paulo, irão te assistir de imediato.

Finalizando, como a bíblia nos ensina, nada há de escondido que não venha a ser revelado.

Tuesday, May 17, 2016

Como abrir empresa em Miami? 3 etapas que tem que ser seguidas

Esse blogger que faz tudo para acompanhar a tendência empresarial e comercial nos Estados Unidos, tem arriscado o canal do You Tube com sua imagem e voz, passando para o público brasileiro a sua experiência de 25 anos negociando com os dois países.

O vídeo de hoje foi em cima da matéria publicada no dia 30 de março chamada “Os 2R’s que o exportador brasileiro insiste em não aceitar para conquistar os Estados Unidos”. Como sempre, a matéria foi polêmica, teve repercussão e não esperamos resultados diferentes com esse vídeo.

Mas como esse blogger sempre fala nos seminários, o brasileiro pode reclamar da maneira direta e objetiva que os assuntos são apresentados, mas nunca poderá dizer que foi enganado.

Se você não leu a matéria comentada, veja vídeo.




Friday, May 13, 2016

Por que AINDA é importante a propaganda para lançar seu produto nos Estados Unidos?


Quem não escutou falar que a propaganda é alma do negócio? Acontece que a maioria dos fabricantes quando querem exportar ou abrir sua empresa em Miami, esquecem dessa realidade. 

Muitos acreditam que só porque tiveram sucesso no Brasil, terão o mesmo sucesso no mercado americano. Como se diz no bom inglês, não poderiam estar mais longe da verdade.

No mercado brasileiro, quando tem liderança, esses fabricantes de um modo geral competem com os fabricantes brasileiros, e de uns bons anos para cá, com os chineses; o que já foi suficiente para quebar muita gente. Aqui esse mesmo fabricante irá competir no segmento dele com fábricas do mundo inteiro, querendo disputar o mesmo espaço que ele quer.

É sabido que a guerra acontece na cabeça do consumidor (share of mind), e que na maioria das vezes essa batalha é travada em frações de segundos quando o consumidor americano está “passeando” nas lojas e hoje com mais um motivo para distraí-lo que não é outro concorrente mas o celular.

Se o produto não possuir um diferencial, um apêlo diferente que chamamos de USP, para os mais bairristas, lamentamos informar que não é a universidade mas sim o unique selling proposition ou unique selling point, vai ficar muito difícil.

Aos mais curiosos, esse termo foi criado em 1940 pelos pioneiros em propaganda na televisão. Mais tarde foi difundido ainda pelo professor de Harvard Theodore Levitt, onde dizia que a diferenciação é uma das estratégias mais importante que uma empresa deve com regularidade se engajar.

Perguntamos: qual é o seu diferencial? Por que o americano tem que comprar o seu produto?

Monday, May 2, 2016

Estados Unidos. Miami não é Brasil. Aprenda inglês

Richard Sanchez, esse blogger, publica mais um vídeo no seu canal do You Tube onde fala da necessidade de se falar inglês em Miami, ou em qualquer outra cidade americana onde existe o bolsão comunitário brasileiro. 

Como sabido e para não ficar cansativo, ele fala só um pouco dos pequenos desafios que o imigrante brasileiro pode enfrentar. Ou melhor, uma grande maioria enfrenta todos os dias. Só quem mora aqui sabe e presencia!

Apesar de não ter sido mencionado no vídeo, ele costuma dizer inclusive nas palestras, como é frequente os que se aventuram a abrir negócios em Miami, Orlando ou qualquer outra cidade, só com o inglês “the book is on the table”.

Vir para os Estados Unidos sem falar inglês, claro que não é problema. Cada um sabe da sua história e razões. Ele não questiona issao. O problema é vir e não querer aprender porque acha que não precisa! Vários dizem que se viram com o "portunhol"...e que amigos irão ajudar! E se os amigos também não falam inglês! Como fica?  

Como muitos chegam aqui achando que não precisam falar inglês, se escoram nos "amigos", chegam com muito dinheiro e não quererem pagar por uma boa assessoria! Deixaremos você imaginar os resultados, tropeços, e outros sérios problemas legais que não são colocados no Facebook.

Diz ele também que o imigrante que não fala inglês, perde o melhor da terra. Veja vídeo e tire suas conclusões.