Thursday, July 23, 2015

O que precisa para conquistar um cliente de luxo ou uma grande fatia do Mercado Americano?

Classe AGargalhada!
Grana! Muita grana! 

O Brasil virou exportador. Muitos fabricantes e empresários querem vir para cá, e conquistar os Estados Unidos. Mas fica a pergunta: estariam eles dispostos a investir nessa conquista?

Podemos estar errados, mas nos parece que a defasagem entre o rico e o pobre está cada vez mais distanciada. A chamada classe dos 1% dos americanos, sabe quem ela é e o poder de compra que tem. Os grandes compradores americanos, também sabem quem são.

Nos imóveis de dezenas de milhões de dólares os corretores estão fazendo coisas, adotando estratégias que a maioria dos brasileiros, deverão perguntar: como pode? Funciona? Respondemos, sim pode e funciona, se não, não fariam.

Como a proposta de porque você tem que fazer negócio comigo, cada vez o vendedor nos Estados Unidos tem que criar um diferencial para se destacar da competição, encantar o comprador e ser lembrado.

Em Los Angeles, os corretores chegam ao ponto de investir em voo de helicóptero para sobrevoar a propriedade, criar filme muito bem editado de apresentação bem no estilo Hollywood, dar um open house que pode custar uns bons milhares de dólares para de repente, o cliente falar, não gostei! 


 Em um veículo conceituado de imóveis de luxo, recentemente publicou que um corretor chega a dizer que gastou quase US$ 300 mil em promoção para um imóvel de US$ 77 milhões de dólares.

E você fabricante? Quanto quer investir para visitar o comprador de uma grande cadeia americana que possui dezenas e/ou centenas de loja, que tem chama de repente?

Quanto você quer investir para enviar as amostras para uma cadeia de loja super cobiçada que o mundo todo que ter uma oportunidade de ter esse tipo de exposição?

Seja para vender produto ou para você brasileiro incorporador, que quer vir aqui, construir e vender. Saiba que investimento em promoção, marketing e merchandising também fazem parte do produto ou serviço que pensa em negociar. 

E os resultados a serem alcançados, estão diretamente ligados ao tamanho do investimento. Se você não criar o chamado WOW fator vai ficar muito difícil. Abra o olho quem te falar o contrário. Se você acha que estamos exagerando, tente!

Friday, July 17, 2015

Qual o seu diferencial para conquistar os Estados Unidos?

Dias atrás enviamos um blast ao nosso database que cobre os 26 estados brasileiros com a seguinte pergunta no assunto:  o que você deseja com os Estados Unidos. O gancho da lâmina promocional foi: você tem a assessoria certa para os seus sonhos e necessidades nos EUA?

Wow! Fora as outras perguntas provocantes no texto, só essas duas foram motivos para escutarmos alguns comentários. Mesmo assim, como não foi surpresa para nós o resultado tem sido positivo.

Mas porque estamos escrevendo isso? Para exemplificar com uma empresa que tem mexido com o mercado de aviação comercial. A SouthWest Airlines tem inovado de uma maneira agressiva em várias frentes, que os resultados têm aparecido de maneira super positiva no balanço, animando assim os investidores.

Costumamos perguntas aos nossos clientes: o que você pode fazer que ninguém está fazendo? Ou se está fazendo, o que você pode mudar? 

A SouthWest Airlines incentiva seus funcionários a serem criativos. No caso da tripulação, aeromoças e comissários de bordo, exteriorizam até mesmo seus dons artísticos. Curiosos que na agressividade comercial comum americana que assusta os brasileiros, o David que é o comissário de bordo que canta o rap, muito animado e engraçado, no minuto final ele fala, you will not get that at United Airlines, I guarantee. Ou seja, você não vai ter isso na concorrência.

Veja esse vídeo um pouco antigo mas que não anula a proposta do post. Veja link.

Wednesday, July 8, 2015

Memorandum of understanding, um aperto de mão e um possível processo na corte americana

Apesar de ter sido publicado em 1 de setembro de 2011, nossa matéria sobre Carta de Intenção ou Letter of Intent (LOI), tem sido disparada, uma das matérias mais lidas do nosso blog. Se você ainda não leu, ela deve estar na coluna da direita em vermelho com o título As 10 mais lidas dos últimos 7 dias.

Segundo nosso admin, desde a publicação até o dia de hoje, 8 de julho de 2015, 2.930 pessoas leram essa matéria. Se considerarmos que esse blog Direto dos USA só é promovido no Brasil, podemos dizer sem margem de dúvidas, que 2.930 brasileiros acessaram essa página. Mas por que estamos falando isso? 

Nos parece que uma outra palavra que está na moda na boca do brasileiro de um bom tempo para cá, é o Memorandum of Understanding, para os íntimos M.O.U. ou MOU como muitos chamam!

Temos escutado com bastante frequência os interessados brasileiros em fazer negócios em Miami ou em Orlando,  falar com bastante “desenvoltura”...”vamos fazer um M.O.U!”. Será que quem fala sabe o que está falando?

Como sabido, o M.O.U. é um documento que descreve os termos e condições de um acordo entre as partes, incluindo as responsabilidades e deveres das partes envolvidas. É o primeiro estágio na elaboração de um contrato, e muito mais formal do que um aperto de mão; carregando nesse documento um peso legal, que pode ser aplicada na corte, caso uma das partes não corresponda as obrigações que foram acordadas. Você sabia disso? Você já reparou que quando negociações entre países acontecem, é assinado um M.O.U. e não um L.O.I.?

Nossa opinião no tocante a negócios com os Estados Unidos e está ficando cada vez mais difícil de mudar pelo que vemos acontecer ao nosso redor, é a seguinte. 

Antes do interessado brasileiro chegar aqui Flórida, querer impressionar com o inglês, procure um advogado de confiança para o devido assessoramento jurídico. Não assine nada sem uma assessoria jurídica e/ou ou até mesmo comercial, caso não tenha segurança. 

O texto abaixo é para colocar no Twitter porque tem menos de 140 caracteres. 

O fato de muitas das vezes você falar português nas negociações, não quer dizer que está no Brasil. O fato do sistema americano ser prático, não quer dizer que é frágil.