Friday, October 30, 2009

O império contra ataca


Há meses nos perguntam sobre a crise americana. E foi uma resposta que não tínhamos nenhum dado oficial positivo para responder.

Ontem os jornais americanos e mundiais publicaram a grande notícia do dia: o PIB americano parou de cair e subiu 3.5% no terceiro trimestre. Mas é o fim da crise? Claro que não!

A fim da crise só será oficializada pelo NBER – National Bureau of Economic Research que é que data o início e fim de qualquer crise nos Estados Unidos. E a previsão é que nada será anunciado até 2010 e sabe DEUS quando. Ninguém sabe! Fora do NBER é mera especulação!

Enfrentando a maior crise desde a Grande Depressão, o governo americano têm se desdobrado enfrentando todas as críticas possíveis e imagináveis, que se fazem necessárias para adotar certas medidas que contraria a massa popular.

Quando as medidas são aceitas e caem no gosto popular como a do Cash for Clunkers, um programa do governo incentivando o dono de carro velho a trocar de carro, que inclusive é creditado que o gasto governamental nesse programa ajudou esses números do PIB, a popularidade do governo sobe. Mas quando contraria o povo, não podemos escrever os adjetivos.
Apesar do desemprego já bater 2 digitos em vários lugares, de tudo não podemos subestimar a capacidade e força econômica dos Estados Unidos. O USA ainda responde por quase 24% do PIB mundial. Possui 29 das maiores empresas do mundo, ainda possui o maior mercado de automóveis do mundo, maior mercado de refrigerantes, e o maior mercado de remédios no mundo. Não podemos em hipótese alguma não prestar atenção nesse mercado.

Como publicado em matérias anteriores, o mercado funciona como líquido dentro de uma garrafa. Quando sacudido, depois de um tempo, ele procura o próprio nível. Isto posto, apesar do dólar baixo no câmbio brasileiro, é perguntar: o que posso fazer para me beneficiar nesse mercado? Como posso fazer para me beneficiar nesse momento?

God bless America!

Tuesday, October 20, 2009

Que horas são nos Estados Unidos?


Quantas vezes você já quis ligar para os Estados Unidos e não teve a menor idéia de que horas eram aqui?

Da costa leste americana, agora no final do ano devido ao horário de verão no Brasil, chega uma diferença de 3 horas por causa do fuso. E na região central? Para você saber com exatidão a hora oficial americana é só consultar http://www.time.gov/ .

Estando o Brasil sempre na frente do fuso, com certeza você não correrá o risco de acordar ninguém com seu telefonema; ainda mais se seu amigo estiver na costa oeste porque a diferença fica 6 horas atrás do Brasil.

Monday, October 19, 2009

Comprar imóvel, é a melhor opção para quem acabou de chegar nos USA?

O dólar abaixou no Brasil mas violência não...só vêm aumentando. Você não aguenta mais essa fobia social. Sonha em se transferir para os Estados Unidos. Dar uma vida melhor a sua família...seus filhos...

A emoção toma conta, você vêm para os States ou transferido (a), ou vêm com visto de turista, e tenta se legalizar... e desavisadamente ou incentivado por amigos que dizem que os imóveis estão “super baratos” acaba comprando um imóvel.

Perguntamos: comprar um imóvel é o melhor negócio para quem logo chega nos Estados Unidos? Você está qualificado (a) financeiramente para comprar um imóvel? Você deve comprar uma casa, mesmo não sabendo se vai se adpatar a cultura americana ou onde quer ficar?

Se você vacilou em qualquer resposta, nosso conselho, não compre!

Você chegando aqui com visto de turista, não tendo histórico de crédito, sua entrada será bem mais alta do que você imagina.

Muitos bancos já estão pedindo no mínimo 30% de entrada. E muitos bancos, até segunda order, nem mais estão financiando para estrangeiro. Uma escritura gira mais ou menos de 5% à 6% do valor do empréstimo. Você já pode calcular quanto irá desembolsar. Você se descapitaliza!

Você como proprietário de imóvel será responsável por todas as taxas, seguros, e adversidades que qualquer propriedade pode apresentar. Estrago devido ao furacão, enchentes, vazamentos, etc.

No aluguel, você têm a flexibilidade de mudança de endereço e conhecer não só a cidade, mas principalmente saber se você se adaptará a uma nova realidade de vida. Você saberá se irá gostar ou não de morar nos States.

Se você soubesse quantos vêm para cá e não gostam, não se dão bem, não se adaptam e querem voltar...e estão todo enrolados com contratos e compromissos assumidos indevidamente logo que chegaram...você não têm idéia...

Estamos desencorajando à você a não vir para os States? Claro que não! Mas entenda que para quem quer fazer uma mudança radical de vida, ainda mais com toda a família, todo cuidado é pouco... e esse país, apesar dos brasileiros terem uma certa dificuldade de entender, é um país de estratégia e de sistemas aplicados.

Você sabendo um pouco de inglês, vários websites podem te ajudar na decisão.

http://www.mortgage101.com/ – você encontra tabela de financiamentos.

http://www.zillow.com/ – você pode ter o valor aproximado do imóvel que você pensa em adquirir, apenas digitando o endereço, cidade e cep.

http://www.interest.com/ – você calcula juros. Mas querendo saber o comparativo de comprar ou alugar, http://mortgages.interest.com/content/calculators/rentvsbuy.asp

Como sabido, as informações supra citadas jamais irão substituir as consultoria e orientações dos profissionais da área, seja ele advogado, realtor (corretor de imóveis) ou mortgage broker.

Boa sorte!

Tuesday, October 13, 2009

Perguntas que têm que ser respondidas antes de exportar para os Estados Unidos

Apesar do que aconteceu na economia americana e ainda está acontecendo, não podemos negar que o mercado americano ainda têm e terá seu apelo comercial por muitos anos.

Você quer exportar para os Estados Unidos? Não sabe por onde começar. Nossa experiência nos diz o seguinte: comece pela sua pessoa e fábrica/empresa.


De um modo geral sua fábrica/empresa são 3 coisas. O que você pensa que é, o que realmente é; e o que o mercado diz que é. Isto posto, perguntamos à você as seguintes perguntas:


1) Você está preparado para exportar? Você pode até estar preparado mas sua fábrica/empresa está preparada? Sua fábrica/empresa está preparada e você está preparado?

2) Porque você quer exportar para os USA?

3) Porquanto tempo você quer exportar para os USA?

4) Porquanto tempo você está disposto a investir e aguardar o retorno do investimento?

5) Porque o americano têm que comprar o seu produto?

Você leitor pode achar essas perguntas até banais mas nossa experiência entrevistando grandes fabricantes/empresários brasileiros aos longos dos anos, nos asseguram que a maioria dos entrevistas nunca tinha parado para pensar nessas perguntas e foram pego de surpresas.

Podemos garantir à você se tivessem respondido essas perguntas antes de tentar o comércio internacional, teriam evitado prejuízos enormes e até mesmo quase que irreparáveis. Entrevistamos vários fabricantes onde a fábrica dos mesmos era ISO 9000 mas a cabeça do dono, não era! Sorry pela sinceridade!...

Monday, October 12, 2009

Investir em imóvel nos USA - não tão fácil como se imagina!


Quem não quer segurança no investimento? Quem não quer ganhar dinheiro fácil? Se você que lê essa matéria conhece alguma maneira de ganhar dinheiro fácil, com 100% de segurança e sem dor de cabeça, fala conosco que queremos conhecer.

É sabido que vários brasileiros endinheirados querem investir em imóveis aqui nos Estados Unidos. Chegam aqui e se sentem bem com o título de “investor” ou “developer”...respectivamente aquele que investe ou desenvolve.

Acontece que esse investidor não está sózinho...centenas de investidores com muita experiência, profundas conexões no mercado imobiliário que já atuam há anos se não décadas, estão disputando o mesmo mercado. Aqueles que compram para revender o mais rápido possível, são os chamados flippers, e estão de volta ao mercado.

A fase de lucro especulativo do ramo imobiliário, a-ca-bou! Agora o lucro será dentro do cenário normal de qualquer negócio, oferta e procura, e desenvolvimento econômico da região.

E os maiores lucros estão nos imóveis mais comprometidos Seja comprometimentos jurídicos porque de uma maneira ou outra estão envolvidos em processo de falência, foreclosure (retomada do imóvel pelo banco) ou inventário; ou comprometimento de engenharia, ou seja, aqueles imóveis que necessitam grande reforma. E mão-de-obra boa é desafio em qualquer lugar.

Muitas das vezes, não sendo uma vizinhança muito nobre, existe furto de geladeiras, fogões, ar-condicionados que muitos ficam do lado de fora, entre outros ítens, quando não tentam habitar a casa porque os “olheiros” percebem que o imóvel está desocupado.

É sabido que o mercado é lucrativo, mas não se engane que o dever de casa é intenso, demorado, e exige certa tecnabilidade comercial e jurídica, principalmente para os não-residentes e como muitos brasileiros dizem, mais estressante do que eles imaginavam.

É só perguntar a “esses investidores” brasileiros como eles ficam quando os inquilinos não pagam o aluguel, ou destroem o imóvel ou o furacão acaba com o imóvel e o seguro não cobre?

Não podemos nos esquecer que é apontado como um dos principais motivos da crise financeira americana que abalou o mundo, o mercado imobiliário americano. Porque será?