Friday, January 8, 2010

Países com restrições comerciais com os USA

Apesar desse blog ter caráter empresarial e comercial voltado ao comércio exterior, muitos nos perguntam sobre aspecto políticos que envolvem os Estados Unidos e Brasil, que de uma maneira direta ou indireta, acabando afetando o comércio internacional entre os dois países.

Não têm como empresariar no comércio internacional e não ser afetado pela política internacional. Simplesmente os dois não se separam; e nos parece que a cada dia que passa com a crise financeira internacional e atentado terroristas, mais ligados estão.

Depois da visita do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad no mês de novembro passado, a oportunidade de negócios com o Irã aumentaram para os brasileiros. De helicóptero, avião, informática, máquinas e equipamentos, dentre outros produtos, muitos brasileiros estão buscando fornecimento aqui nos States.

Como sabemos disso? Não só temos sido solicitados mas como temos escutado esse assunto em eventos de networking e happy hour aqui em Miami. Muitos brasileiros, moradores no Brasil, estão consultando as bases e contatos aqui nos Estados Unidos, para realização de negócios com o Irã.

Acontece que pela legislação americana nos é proibido se envolver em qualquer negócio direta ou indiretamente ou com o Irã e/ou qualquer outro país (Cuba, Sudão, Burma, Libia,...) em que os Estados Unidos venha ter restrição comercial.

Entendemos que pelo volume que se apresenta, a tentação é muito grande...mas como se diz aqui, it is better to be safe than sorry. É aconselhável aos que aqui estão, morando e empresariam, não se envolverem nessas operações, mesmo triangulando.!

A legislação é muito bem explicada a qualquer um que se envolva dentro dos Estados Unidos ou fora dos Estados Unidos. Aos quem sabem inglês, é super aconselhável a buscar no Google.com as três seguintes fontes. A saber:

Specially Designated Nationals (SDNs)

Export Administration Regulations (EAR)

Department of Commerce Bureau of Industry and Security (BIS)

Aos que acham que não é bem assim, exemplificamos com o seguinte: no mês de dezembro de 2009, foi alardeado nos jornais americano que o Credit Suisse foi condenado a pagar US$ 536 milhões de multa por facilitar operações financeiras com o Irã, Cuba, Sudão, Burma e Libia, que são países sob restrição comercial e detalhe; e as operações foram feitas fora dos Estados Unidos.
Mas aí você pergunta...e agora a Beyoncé que cantou para o filho do Kadafi no final do ano em uma ilha caribenha, e diz a imprensa que ela faturou US$ 2 milhões de dólares? Wow!...

Se você for celebridade, pode até ser que se de bem...mas está muito polêmico e ela terá que se explicar como qualquer um que fizer negócio com os países e pessoas que os Estados Unidos, proíbe.

Como a bíblia nos ensina:

O que disser ao perverso: Tu és justo; pelo povo será maldito e detestado pelas nações. Provérbios 24:24

No comments:

Post a Comment