Friday, June 11, 2010

O que tem haver a Copa do Mundo com o exportador brasileiro?


A Copa do Mundo começou hoje. O Brasil se preparou mais uma vez para uma exibição internacional com a seleção brasileira. Que o Brasil é bom de bola, não se discute. Mas será que o Brasil só têm isso para mostrar no exterior?

Já não passou da hora do Brasil mostrar ao mundo, ou melhor, exibir ao mundo, não só o futebol, mas produtos diferentes de café, samba, mulher pelada e arara?!...quando não ainda mostram índio? Não que temos nada contra índio; mas se nos basearmos em percepção, será uma boa imagem internacional?

Pegando uma carona na música carnavalesca, sabemos nos Estados Unidos índio quer mais do que apito, que diga a cadeia Hard Rock com os Seminoles na Flórida e os cassinos que são explorados nesse país afora. Com toda força ecônomica que os índios são aqui nos States, você não vê essas imagens muito divulgada no exterior.

Se você perguntar um brasileiro o que é um Cherokee, ele sabendo te responder, chances são que dirá ser um modelo do carro Jeep e não uma tribo poderosa como os Seminole, Micosukee, Navarro dentre outras.

Mas aí você fala, e a Embraer? Mas nós te perguntamos, qual o tamanho do parque industrial brasileiro?

Quantos produtos/marcas brasileiras de sucesso internacional você conhece sem ser a Embraer? Qual o percentual desse produtos/marcas que você conhece em relação a esse parque industrial?

Não estaria ainda existindo uma miopia de marketing do próprio governo e/ou do empresariado de modo geral?

Você estando lendo essa matéria via web, você poderá estar lendo via internet, num computador Dell, vestindo uma calça Lee ou Levis, usando tênis Nike, tomando Coca-Cola, escutando rock and roll no fundo e checando teu BlackBerry simultanêamente. Não é possível esse cenário?

É inaceitável ver um país com tanto ISO e com pouca representatividade no mercado internacional.

Quando vemos a postura adotada aqui no exterior por várias fábricas renomadas no Brasil, podemos concluir que a fábrica pode ser ISO mas a mentalidade dos diretores ou dos donos não é. Oops!

O fato de várias marcas serem líderes no Brasil, não as leva ao comodismo? Sabemos que a liderança leva ao comodismo. O complexo de Gabriela, eu nasci assim eu cresci assim, não estaria fazendo parte das embalagens de vários produtos?

O Brasil terá uma oportunidade de exibição no mercado internacional que poucos países terão nas décadas vindouras. Teremos a Copa em 2014 e as Olímpiadas 2016. Isso sem contar toda toda a exposição mundial da mídia mencionando sobre a produção de petróleo e a economia estável brasileira.

O trem da oportunidade de firmar o nome de vez no comércio internacional, já saiu da estação. As nossas perguntas para você leitor são:

Iremos perder o trem?
Iremos correr atrás do trem quando ele passar na nossa frente?
Ou iremos viajar na primeira classe do trem?

Se acharmos que já sabemos tudo de comércio internacional, fechamos com a seguinte pergunta: quanto você aprendeu desde a última vez que achava que sabia tudo?

No comments:

Post a Comment